Curso de Operações Especiais – Como se tornar um Caveira! Continuação…

Fase policial

Os conhecimentos dessa fase possuem características diferentes da fase rústica, mas devido às atividades da primeira fase, o aluno, nesse ponto, já possui autoconfiança, vigor físico, iniciativa e preparo psicológico.

E como o objetivo principal é preparar policiais para atuação em ações especiais de polícia, será nessa fase que iniciarão o treinamento com armas de fogo, e até o final do curso, renovarão as habilidades com o armamento disponível, com o intuito principal de alcançar o máximo em excelência no emprego de arma de fogo.

Grupo de Intervenção 13 de maio - GI13.

As habilidades e conhecimentos adquiridos serão acumulados e cada novo assunto pode depender do anterior ou ser completado por este.

A seqüência de aprendizado segue um padrão racional, para que determinado conhecimento não esteja ausente no momento da introdução do próximo assunto.

Fase técnica

Na fase técnica será enfatizado o conhecimento racional e teórico do assunto operações especiais.

Nessa etapa ocorre o ensino e aplicação de um conhecimento com doutrina específica, que visa aumentar a capacidade de análise, de planejamento e execução do profissional, reforçando a busca pelo melhor meio para resolução de um problema, observando os fatores jurídicos, logísticos e operacionais.

O Curso de Operações Especiais tem por características a relação teórico-prático de suas instruções e necessita de imediatismo na praticidade das atividades técnicas adquiridas pelos instruendos na forma teórica, durante todo o período de aulas.

A consecução das atividades práticas e matérias específicas, são imperativas no processo de aprendizagem.

O treinamento realizado durante o Curso de Operações Especiais é similar ao das principais tropas que atuam na mesma modalidade de combate ao crime, tanto no Brasil como no mundo e tornam-se imprescindíveis para que o policial, bem treinado e plenamente imbuído do seu dever, possa fazer frente a um evento de graves conseqüências.

O livro dos operações especiais

A Unidade, com a finalidade de controlar e manter em sua estrutura administrativa a relação de quais policiais da PMDF possui o Curso de Operações Especiais, instituiu o Chamado “Livro dos Operações Especiais”, onde ficam mantidos os nomes de todos aqueles que realizaram o treinamento na PMDF e em outros Estados ou Países. Os policiais recebem um número seqüencial, iniciando-se a partir do numeral 01, que foi destinado ao 3º SGT QPPMC Nailô Ferreira dos Reis, Mat. 01.825/2(in memorian).

Veículo abandonado em área crítica no Setor de Embaixadas

O Livro é organizado pelos integrantes da COE, não é uma publicação oficial da Instituição mas é mantido e controlado por todos aqueles que concluíram o treinamento, numa demonstração de respeito e camaradagem entre todos integrantes do grupo.

O Curso de Operações Especiais da PMDF merece destaque, uma vez que abrange várias habilidades da área de operações especiais, indo além do necessário, lembrando que os alunos desse curso realizam inclusive saltos de pára-quedas e tornaram-se assim, a primeira unidade policial militar no Brasil a empregar essa técnica em seu quadro de adestramento. Vários Estados já solicitaram e receberam o apoio da COE na formação de policiais pára-quedistas, entre elas, o Mato Grosso do Sul em seu COEsp.

A diversidade de conhecimento apresentada, aliada à metodologia do ensino empregada no curso, faz desse treinamento o que poderia ser chamado de uma universidade das operações especiais no Brasil. Pois o seu quadro de instrutores possui policiais formados em operações especiais em diversas regiões do Brasil, bem como de várias instituições policiais e militares.

Instituições em que foram formados alguns membros da COE:

  • Policia Militar do Estado do Rio de Janeiro – BOpE;
  • Policia Militar do Estado de São Paulo – GATE e COE;
  • Policia Militar do Rio Grande do Sul – BOE;
  • Policia Militar de Pernambuco – CIOE;
  • Policia Militar do Espírito Santo – GATE;
  • Policia Militar do Mato Grosso do Sul – CIGCOE;
  • SENASP – Policia Civil do Paraná – TIGRE;
  • Polícia Federal – COT;
  • Policia Militar do Paraná – COE;
  • Policia Militar do Piauí – GATE;
  • Policia Militar do Estado de Goiás – antigo BPChoq/GATE;
  • Exercito Brasileiro – Brigada de Operações Especiais;
  • Aeronáutica – PARASAR;
  • Marinha do Brasil – Batalhão Tonelero;
  • Carabineiros de Chile.

A variedade na formação possibilitou a criação de uma doutrina simples, uma linguagem abrangente e eficiente, com uma característica importante, a flexibilidade para poder atuar em qualquer ambiente ou instituição, que acaba por facilitar o entendimento e entrosamento da equipe com os demais grupos no Brasil.

E é mais ou menos isso, quero dizer, assim como a leitura, o caminho é longo!

Mas vale a pena, pois a dor é passageira mas o orgulho é eterno!

Força e Honra!

Segue aqui o resumo de 16 semanas em vídeo!

About these ads

24 thoughts on “Curso de Operações Especiais – Como se tornar um Caveira! Continuação…

  1. Ola. Gostaria de saber o que acontece na semana administrativa? Ela entra na contagem de 16 semanas? Ela é que dá inicio ao curso ou acontece antes? Essa semana dura mesmo 7 dias? Desde ja grato, pela atencao e deferência.

    • Uma semana a mais, uma a menos!!
      Tanto faz amigo!!
      afinal de contas, estamos falando de um curso que dura 1/3 do ano, certo?

      Enfim, a semana administrativa faz parte do curso sim, porém… pode não entrar no calendário de atividades. Quando me refiro a atividades, cito aquelas que são diretamente ligadas ao treinamento de operações especiais, o curso propriamente dito.

      A semana administrativa é chamada assim pq é nela que se prepara o futuro aluno do COEsp para o treinamento. Neste período, que pode ser de 5, 6 ou até mesmo quatro dias, inclusive pode ser de duas semanas, depende do planejamento, são conferidos os materiais exigidos no caderno do aluno, como fardamento, EPI´s básicos, bem como ocorre instruções/treinamentos/preparação sobre determinados assuntos que o aluno vai necessitar já na primeira semana de curso(apelidado de módulo impossível).
      É uma semana tranquila, mas que enche os alunos de apreensão, pois a qualquer momento, pode ocorrer a mudança de candidato para aluno e início do treinamento de operações especiais, a parte psicológica já é avaliada a aprtir deste momento.
      Boa sorte!!
      Força e Honra!!

  2. SOU PM DO PARÁ E GOSTARIA DE SABER COMO POSSO PARTICIPAR DO CURSO DA COE QUE Vocês MINESTRÃO AI.

    • Camarada!!
      Seu Comando deve solicitar uma vaga para o Diretor de Ensino ou Comando Geral da PMDF.
      Mas somente para o ano que vem. Este ano já estamos em atividade, o curso já começou e segue em diante, ok?
      Grande abraço e boa sorte!!!
      Força e Honra!!

      • O COTE (CURSO DE OPERAÇÕES TÁTICAS ESPECIAIS) DA CORE PCERJ É RECONHECIDO COMO OPERAÇÕES ESPECIAIS?
        RECEBE O NÚMERO E A CAVEIRA NO FINAL DO CURSO?

      • Tudo certo Camarada?
        A denominação OPESp vai de cada Instituição. Acredito que sim, que são Operações especiais, agora quanto à Caveira e uma numeração eu não posso te confirmar pois nunca tive contato com este grupo especial, fico devendo!
        Força e Honra!

  3. A ESSE POLICIAL DO PARÁ PRIMEIRO ELE TEM QUE FAZER O CURSO AQUI NA COE AI SIM SE ELE FOR APTO AINDA ASSIM VAI DISPUTAR UM TAF PARA PODER GANHAR A VAGA PARA AI SIM PODER FAZER O TAF DO DF. (TEM QUE PRIMEIRO MOSTRAR SE SERVE OU Ñ PQ AQUI PARA FAZER CURSO FORA TEM QUE TER NO MINIMO UM CATE! (TEMOS QUE TESTAR O HOMEM PRIMEIRO ) POIS OS QUE VÃO FAZER O CURSO TODOS SÃO TESTADO E APROVADO PELO NOSSO IMETRO. OBRIGADO COMPABHEIRO CAVEIRA!!

    • Prezado!
      Inicialmente, esta resposta merece um artigo inteiro. Desculpe a falta de tempo para escrevê-lo da melhor forma.
      Seu sonho de se tornar policial deve ser definido pela Instituição primeiramente, qual delas vc deseja fazer parte: Civil, PM ou Federal.
      Depois de definido este ponto, estude e realize o devido concurso público necessário para ingressar na Instituição de sua escolha.
      Planeje-se, pois temos situações em que os concursos não ocorrem.
      Outra dica importante, planeje um segundo plano, pois problemas de saúde até então desconhecidos, impedem as pessoas de se tornarem policiais.
      Seja ativo fisicamente, malhe bastante, corra, seja forte, mentalmente também.
      Boa sorte!!
      Força e Honra!

  4. Bom dia Carlos… Vc tem informações do curso do GATE do Piaui…??? saberia me informar sobre o TAF deles… Abração…
    GOMIDE-GOTE-16
    Força e Honra…

    • Prezado Gomide!
      O que sei a respeito deste valoroso curso é que apesar de possuir o nome de CATE – Curso de Ações Táticas Especiais, é um verdadeiro COESP, com suas fases definidas e bem puxadas, como qualquer outro curso neste padrão.
      Quanto ao TAF colega, as informações que tenho estão desatualizadas.
      Lamento não poder ajudar.

      Força e Honra!

  5. GASTARIA DE SABER COMO FAÇO PARA INGRESSAR NESTE CURSO…FORÇAS ESPECIAIS,POIS ME INTEREÇOU MUITO.ATEMPOS TENHO UM GRANDE SONHO DE ENTRAR PARA AS FORÇAS ESPECIAS..COMO FAÇO..PRA CONSEGUIR,,DESD JA MUITO OBRIGADO..;

  6. gostaria de saber se este curso.;;de operaçoes especias.e so pra kem ja e policial.,ou pode participar tambem quem nao seja policial…obrigado ~~ Valdevino…

    • Prezado!

      Já ouvi falar e já vi sim. E diga-se de passagem, foram treinamentos na marca, objetivos e funcionais.
      A grande verdade, qual o propósito deste treinamento? Neste período, que matérias os profissionais foram treinados?
      Qual o objetivo da Instituição em realizar um treinamento neste período? A carga horária é suficiente, no entendimento dos gestores? Pq 6 meses, 4 meses, 3 meses?
      A duração está na carga horária necessária para atingir os objetivos propostos.
      Explico isso porque, na verdade, o nome COESP ou operações especiais ou ações táticas especiais, apesar de abrangentes, podem, em determinados momentos, tratar apenas de uma parte de um treinamento de operações especiais, mas nem por isso, perde seu valor. Exemplo: uma abordagem de RP é uma ação tática de natureza especial sim, mas tem gente que não concorda!

      Se na estrutura da Organização for definido que em 30 dias, serão formados operações especiais, através de um COESP, para missões de alto risco(quais?), que sejam!
      Há quem discorde do que eu escrevi, mas… tudo vai depender da quantidade de matérias e carga horária.

      Grande abraço!

      Força e Honra!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s