Tag Archive | força

Um pouco mais sobre cães pastores, ovelhas e lobos.

Cães Pastores, Ovelhas e Lobos

Dave Grossman, Ten Cel Ranger – Autor de “On Killing”

google images

google images

Um veterano do Vietnã, um velho Coronel da Reserva, certa vez me disse: “A maioria das pessoas em nossa sociedade são ovelhas. Eles são criaturas produtivas, gentis, amáveis, que só machucam umas às outras por acidente.”

Isso é verdade. Lembre que a taxa de assassinatos é de 6 por 100.000, por ano, e a taxa de agressões sérias é de 4 por 1000, por ano. O que isso significa é que a esmagadora maioria dos norte-americanos não é inclinada a machucarem uns aos outros. Algumas estimativas dizem que dois milhões de americanos são vítimas de crimes violentos todo ano. Um número trágico, assustador, talvez um recorde em matéria de crimes violentos. Mas existem quase 300 milhões de americanos, o que significa que a chance de ser vítima de um crime violento ainda é consideravelmente menor que uma em cem, em qualquer ano. Ainda, como muitos dos crimes violentos são praticados pelas mesmas pessoas, o número real de cidadãos violentos é consideravelmente menor que dois milhões.

Há um paradoxo aí, e devemos pegar ambos os lados da situação: nós podemos estar vivendo a época mais violenta da história, mas a violência ainda é surpreendentemente rara. Isso é porque a maioria dos cidadãos são pessoas gentis e decentes que não são capazes de machucarem umas às outras, exceto por acidente ou sob provocação extrema. Elas são ovelhas. Eu não quero dizer nada negativo quando as chamo de ovelhas. Para mim a situação é como a de um ovo de passarinho. Na parte de dentro ele é gosmento e macio, mas algum dia ele se transformará em algo maravilhoso. Mas o ovo não pode sobreviver sem sua casca dura. Militares, policiais e outros guerreiros são como essa casca, e algum dia a civilização que eles protegem tornar-se-á algo maravilhoso. Por enquanto, ela precisa de guerreiros para protegê-la dos predadores.

google images

google images

“E então há os lobos”, disse o velho Veterano de Guerra, “e os lobos alimentam-se das ovelhas sem perdão”. Você acredita que há lobos lá fora que irão se alimentar do rebanho sem perdão? É bom que você acredite. Há homens perversos nesse mundo que são capazes de coisas perversas. NO INSTANTE EM QUE VOCÊ ESQUECE DISSO, OU FINGE QUE ISSO NÃO É VERDADE, VOCÊ SE TORNA UMA OVELHA. NÃO HÁ SEGURANÇA NA NEGAÇÃO !

“E então há os Cães Pastores”, ele continuou, “e eu sou um Cão Pastor. Eu vivo para proteger o rebanho e confrontar o lobo.”

Se você não tem capacidade para a violência, então você é um saudável e produtivo cidadão, uma ovelha. Se você tem capacidade para a violência e não tem empatia por seus concidadãos, então você é um sociopata agressivo, um lobo. Mas, e se você tem capacidade para a violência e um amor profundo por seus conterrâneos? O que você tem então? Um Cão Pastor, um Guerreiro, alguém que anda no caminho do Herói. Alguém que pode entrar no coração da escuridão, dentro da fobia humana universal e sair de novo.

Deixe-me desenvolver o excelente modelo de ovelhas, lobos e cães daquele velho soldado. Nós sabemos que as ovelhas vivem em negação da realidade, e isso é o que as faz ovelhas. Elas não querem aceitar o fato de que há mal neste mundo. Elas podem aceitar o fato de que incêndios podem acontecer, e é por isso que elas querem extintores, sprinklers, alarmes e saídas de incêndio em tudo quanto é canto das escolas de seus filhos. Mas muitas delas ficam ultrajadas diante da idéia de colocar um Policial armado na escola de seus filhos. Nossos filhos são milhares de vezes mais suscetíveis a serem mortos ou seriamente feridos por violência escolar do que por fogo, mas a única resposta da ovelha para a possibilidade de violência é a negação. A idéia de que alguém venha matar ou ferir seus filhos é muito dura, então elas escolhem o caminho da negação.

As ovelhas geralmente não gostam dos Cães Pastores, nem de suas armas. Ele parece muito com o lobo. Ele tem dentes afiados e a capacidade para a violência. A diferença, no entanto, é que o Cão Pastor não deve, não pode e não irá nunca machucar as ovelhas. Qualquer Cão Pastor que intencionalmente machuque a ovelhinha será punido e removido. O mundo não pode funcionar de outra maneira, pelo menos não em uma democracia representativa ou em uma República como a nossa. Ainda assim, o Cão Pastor incomoda a ovelha. Ele é uma lembrança constante de que há lobos lá fora. As ovelhas prefeririam que ele não lhe dissesse para onde ir, não lhe desse multas e nem ficasse nas esquinas, com roupas camufladas e segurando um Fuzil. As ovelhas prefeririam que o Cão guardasse suas garras e dentes, se pintasse de branco e dissesse: “Béééééé”

Até que o lobo aparecesse. Aí o rebanho inteiro tenta desesperadamente esconder-se atrás de um único Cão !

Os estudantes, as vítimas, na escola de Columbine (EUA) eram adolescentes, grandes e durões. Sob circunstâncias ordinárias, eles nunca gastariam algum tempo de seu dia para dizer algo a um Policial. Eles não eram adolescentes ruins, eles simplesmente não teriam nada a dizer a um Policial. Quando a escola estava sob ataque, no entanto, e os times da SWAT estavam entrando nas salas e corredores, os Policiais tinham praticamente que arrancar os adolescentes que se agarravam às suas pernas, chorando. É assim que as ovelhinhas se sentem quanto a respeito de seus Cães Pastores quando o lobo está na porta.

Olhe o que aconteceu depois do 11 de setembro, quando o lobo bateu forte na porta. Lembram-se de como a América, mais do que nunca, sentiu-se diferente a respeito de seus Militares, Policiais e Bombeiros ? Lembram-se de quantas vezes ouviu-se a palavra Herói ?

Entendam que não há nada de moralmente superior em ser um Cão Pastor; é apenas aquilo que você escolhe ser. Entendam ainda que um Cão Pastor é uma criatura esquisita. Ele está sempre farejando o perímetro, latindo para coisas que fazem barulho durante a noite, e esperando ansiosamente por uma batalha. Os Cães jovens anseiam por uma batalha, é bom dizer. Os Cães velhos são mais espertos; mas ao ouvir o som das armas e perceberem que são necessários, eles se movem imediatamente, junto com os jovens. É aqui que as ovelhas e Cães pensam diferente. A ovelha faz de conta que o lobo nunca virá, mas o Cão vive por aquele dia. Depois dos ataques de 11 de setembro, a maior parte das ovelhas, isto é, a maioria dos cidadãos na América disse “Graças a Deus que eu não estava em um daqueles aviões”. Os Cães Pastores, os Guerreiros, disseram, “Meu Deus, eu gostaria de ter estado em um daqueles aviões. Talvez eu pudesse ter feito a diferença.” Quando você está verdadeiramente transformado em um Guerreiro, você quer estar lá. Você quer tentar fazer a diferença!

Não há nada de moralmente superior sobre o Cão, o Guerreiro, mas ele leva vantagem em uma coisa. Apenas uma. E essa vantagem é a de que ele é capaz de sobreviver em um ambiente ou situação que destrói 98% da população.

Houve uma pesquisa alguns anos atrás com indivíduos condenados por crimes violentos. Esses presos estavam encarcerados por sérios e predatórios atos de violência: Assaltos, estupros, assassinatos e assassinatos de policias. A GRANDE MAIORIA DISSE QUE ESCOLHIA SUAS VÍTIMAS PELA LINGUAGEM CORPORAL: ANDAR DESLEIXADO, COMPORTAMENTO PASSIVO E FALTA DE ATENÇÃO AO AMBIENTE. Eles escolhiam suas vítimas como os grandes felinos fazem na África, quando eles selecionam aquele que parece menos capaz de se defender. Algumas pessoas parecem destinadas a serem ovelhas e outras parecem ser geneticamente escolhidas para serem lobos ou Cães. Mas eu acredito que a maior parte das pessoas pode escolher qual dos dois elas querem ser, e eu estou orgulhoso de dizer que mais e mais americanos estão escolhendo ser Cães.

Sete meses depois do ataque de 11 de setembro, Todd Beamer foi homenageado em sua cidade natal, Cranbury, New Jersey. Todd, como vocês se lembram, era o homem no vôo 93, sobre a Pensilvânia, que ligou de seu celular para alertar um operador da United Airlines sobre o seqüestro. Quando ele soube que outros três aviões haviam sido usados como armas, Todd largou o telefone e disse as palavras “Let’s roll” o que as autoridades acreditam que tenha sido um sinal para os outros passageiros para confrontar os seqüestradores. Em uma hora, uma transformação ocorreu entre os passageiros – atletas, homens de negócios e pais – de ovelhas para Cães Pastores e juntos eles combateram os lobos, salvando um número indeterminado de vidas no chão.

Não há salvação para o homem honesto, a não ser esperar todo o mal possível dos homens ruins.” – Edmund Burke

Aqui é o ponto que eu gosto de enfatizar, especialmente para os milhares de Militares e Policiais para os quais falo todo ano. Na natureza, as ovelhas, as ovelhas de verdade, nascem assim. Cães nascem assim, bem como os lobos. Eles não têm uma chance. Mas você não é uma criatura. Você é um ser humano, e como tal pode ser o que quiser. É uma decisão moral consciente. Se você quer ser uma ovelha, então você pode ser uma ovelha e está tudo bem, mas você deve entender o preço a pagar. Quando o lobo vier, você e as pessoas que você ama morrerão se não houver um Guerreiro por perto para protegê-lo. Se você quer ser um lobo, tudo bem, mas os Pastores o caçarão e você não terá descanso, segurança, confiança ou amor. Mas se você quiser ser um Cão Pastor e andar no caminho do Guerreiro, então você deve tomar uma decisão consciente DIÁRIA de dedicar-se, equipar-se e preparar-se para aquele momento tóxico, corrosivo, quando o lobo vem bater em sua porta.

Quantos Policiais, por exemplo, levam armas para a Igreja? Elas estão bem escondidas em coldres de tornozelo, coldres de ombro, dentro dos cintos ou nas costas. A qualquer hora em que você estiver no culto ou na missa, há uma boa chance que um Policial na sua congregação esteja armado. Você nunca saberia se havia ou não um indivíduo assim em seu local de adoração, até que o lobo aparecesse para massacrar você e as pessoas que você ama. Eu estava treinando um grupo de Policiais no Texas e, durante o intervalo, um Policial perguntou a seu amigo se ele levava a arma para a igreja. O outro respondeu “Eu nunca vou desarmado à Igreja”. Eu perguntei por que ele tinha uma opinião tão firme a esse respeito, e ele me contou a respeito de um Policial que ele conhecia que esteve em um massacre em uma Igreja em Fort Worth, Texas, em 1999. Nesse incidente, uma pessoa desequilibrada mentalmente entrou na Igreja e abriu fogo, matando 14 pessoas. Ele disse que o Policial acreditava que ele podia ter salvo todas as vidas naquele dia se ele estivesse carregando sua arma. Seu próprio filho foi atingido, e tudo o que ele pôde fazer foi atirar-se sobre o corpo do garoto e esperar a morte. Aquele Policial me olhou nos olhos e disse: “Você tem idéia do quão difícil é viver consigo mesmo depois disso?”

Alguns ficariam horrorizados se soubessem que esse Policial estava armado na Igreja. Eles o chamariam de paranóico e provavelmente o admoestariam. Ainda assim, esses mesmo indivíduos ficariam enfurecidos e pediriam que “cabeças rolassem” se descobrissem que os air bags de seus carros estavam defeituosos, ou que os extintores de incêndio nas escolas de seus filhos não funcionavam. Eles podem aceitar o fato que fogo e acidentes de trânsito podem acontecer e que deve haver medidas de segurança contra eles.

A única resposta deles ao lobo, no entanto, é a negação, e, frequentemente, sua única resposta ao Cão Pastor é a chacota e o desdém. Mas o Cão Pastor pergunta silenciosamente a si mesmo: “Você tem idéia do quão duro seria viver consigo mesmo se seus entes queridos fossem atacados e mortos, e você ficasse ali impotente porque está despreparado para aquele dia?”

É a negação que transforma as pessoas em ovelhas. Ovelhas são psicologicamente destruídas pelo combate porque sua única defesa é a negação, que é contra-produtiva e destrutiva, resultando em medo, impotência e horror, quando o lobo aparece.

A negação mata você duas vezes. Mata uma, no momento da verdade, quando você não está fisicamente preparado: você não trouxe sua arma, não treinou. Sua única defesa era o pensamento positivo. Esperança não é uma estratégia. A negação te mata uma segunda vez porque mesmo que você sobreviva fisicamente, você fica psicologicamente destroçado pelo seu medo, impotência e horror na hora da verdade.

Gavin de Becker coloca dessa maneira em “Fear Less”, seu soberbo livro escrito após o 11 de Setembro, leitura requerida para qualquer um tentando entender a atual situação global: “… a negação pode ser sedutora, mas ela tem um efeito colateral insidioso. Apesar de toda a paz de espírito que aqueles que negam a realidade supostamente alcançam por dizerem que as coisas não são tão sérias assim, a queda que eles sofrem quando ficam cara a cara com a violência é muito mais perturbadora”. A negação é uma situação de “poupe agora, mas pague mais tarde”, uma enganação, um contrato escrito só em letras miúdas. A longo prazo, a pessoa que nega acaba conhecendo a verdade em algum nível.

Assim, o Guerreiro deve lutar para enfrentar a negação em todos os aspectos de sua vida, e preparar-se para o dia em que o mal chegará. Se você é um Guerreiro que é legalmente autorizado a carregar uma arma e você sai sem levar essa arma, então você se transforma em uma ovelha, fingindo que o homem mau não virá hoje. Ninguém pode estar ligado 24 horas por dia, 7 dias por semana, a vida inteira. Todos precisam de tempo de repouso.

Mas se você está autorizado a portar uma arma e você sai sem ela, respire fundo e diga para si mesmo: “Bééééééé…”

Essa história de ser uma ovelha ou um Cão Pastor não é uma questão de sim ou não. Não é um tudo ou nada. É uma questão de degraus, um continuum. De um lado está uma desprezível ovelha com a cabeça totalmente enfiada na terra, e no outro lado está o Guerreiro completo. Poucas pessoas insistem que estão completamente em um lado ou outro. A maioria de nós vive no meio termo. Desde 11 de Setembro, quase todos na América deram um passo acima nesse continuum, distanciando-se da negação. A ovelha deu alguns passos na direção de aceitar e apreciar seus Guerreiros, e os Guerreiros começaram a tratar seu trabalho com mais seriedade. O grau para o qual você se move nesse continuum, para longe da “ovelhice” e da negação, é o grau no qual você estará preparado para defender-se e a seus entes queridos, fisicamente e psicologicamente, na hora da verdade.

Este texto não é meu, recebi em minha caixa de email. Portanto, respeito a fonte.

Anúncios

Atendimento de ocorrências policiais do futuro – como serão.

A capital federal possui atualmente câmeras de alta definição em seus principais pontos, bem como ao longo das principais rodovias, gravando com áudio o som dos carros, com um software que possibilita dividir e selecionar a conversa de mil pessoas em cada quadro de vídeo gravado com precisão.

O acionamento da polícia e dos bombeiros se dá também por SMS geolocalizado, bem como pelas câmeras interativas instaladas pelo centro da cidade, onde cada cidadão acena para a câmera e um alarme aciona o Centro de Operações da Polícia – COPOL( Sim, as polícias foram unificadas), com a ativação do sistema, o operador visualiza a ocorrência e através de um vídeo pode definir quantas viaturas mandar. Cada poste de iluminação possui uma câmera simples, com capacidade de armazenar imagens e ser acionada pelo operador do COPOL imediatamente após a ativação do sistema pelo cidadão. A tecnologia das câmeras acionadas por gestos foi uma evolução do jogo kinect, lançado no ano de 2010.

Todo este sistema foi montado inicialmente na região central de Brasília depois do crime acontecido na região do Congresso Nacional, onde um grupo de pessoas, todas elas portando fuzis, atiraram contra as janelas do anexo Congresso Nacional, ferindo 23 e matando outras 15 pessoas que estavam trabalhando numa tarde de quarta-feira. O secretário de Segurança percebeu que espalhar o mesmo sistema pelas saídas da cidade, bem como nas regiões mais precárias rendeu um bom resultado político para o Governo local, que estava em baixa no ano anterior. Com a consecução do atentado mais bárbaro ocorrido desde a inauguração da cidade, aquela foi a melhor saída em termos de prevenção em segurança pública.

Os agentes policiais que trabalhavam em viaturas, compostas por dois policiais apenas eram munidos de uma tecnologia de ultima geração. Cada policial recebia em sua Unidade policial um tablet e um smartphone, sendo que os policiais que rondavam à pé, faziam tudo num aparelho de tamanho intemediário; todos ligados a uma rede de dados 6G. Todo atendimento, por mais simples que fosse era anotado; única herança que restou do policiamento comunitário dos anos de 2000-2010. Crimes simples, eram atendidos no local, com atendimento e video conferência com magistrados, num sistema on line, onde até a assinatura de termos possui agora um formato digital. Os smartphones captam digitais das mãos de suspeitos e imediatamente os localizam num sistema denominado Zeus, que interliga os serviços da polícia, dos hospitais, bombeiros, receita federal e outros órgãos públicos.

As perícias dos arrombamentos em residências, são preliminarmente atendidas pela equipe acionada pelo COPOL, não há mais necessidade do cidadão deslocar ao local chamado anteriormente de delegacia de polícia, atualmente denominada Agência Local de Polícia (ALP). O agente de segurança pública recolhia evidências, checava digitais tudo nos aparelhos que carregava em seu veículo. Os policiais que estão à pé ou em bicicletas, recebem o apoio destas viaturas quando precisam.

Com a divisão de viaturas compostas inicialmente por três policiais para dois apenas, cada ocorrência é antendida por duas viaturas, dando a impressão de mais policiais no local e quando em situação normal, fornece ao cidadão a impressão de uma área com mais viaturas, ou seja bem vigiada.

Com o uso da tecnologia, cada policial pode gerenciar, mandar emails, realizar video-conferências, anexar fotos na ocorrência policial, georeferenciar o evento crítico, bem como enviar aos interessados cópia de tudo que foi anotado relacionado a determinado atendimento, inclusive, os policiais podem postar as ocorrências atendidas numa comunidade social específica, somente de policiais, como forma de dividir o conhecimento, colaborando no atendimento de outros fatos criminosos relacionados, divulgar informações sobre criminosos e outras técnicas novas com relação à atividade policial. O software geotime passou a ajudar a polícia a monitorar pessoas em penas acessórias ou em liberdades condicionais.

A utilização de blogs na década de 2010 feriu bravamente o pensamento coletivo da extinta polícia militar, onde cada Unidade policial ou membro dela, divulgava suas informações da forma que julgava mais coerente. Algumas viaturas tinham até seu twitter próprio, bem como sua comunidade no Orkut ou número de celular, demorou-se para identificar os riscos. Isto então passou a ser considerado transgressão grave da disciplina, se fosse feito fora do ambiente controlado. O acionamento deve ser feito por um único lugar, o famoso 190.

Num rank, os policiais do ano, que são condecorados com prêmios em dinheiro, ainda imbatíveis no quesito prisão de meliantes em flagrantes, estavam os policiais de Ceilândia, a maior cidade dentro do Distrito Federal. Estes policiais exploravam melhor os serviços de tecnologia disponíveis, usando as redes sem fio presentes na cidade, dando maior velocidade ao acesso  e divulgação de informações. Obviamente, o fato de terem nascido e usufruído de uma infância naquela cidade, tornava-os exímios caçadores quando o assunto era busca e captura de marginais foragidos ou em momento de pós-crime.

 Cada cidadão acomopanha em seus smartphones o trânsito e as condições de segurança da cidade por um aplicativo baixado na página da internet da polícia. As informações são processadas e inserida pelo COPOL. è possível ver o índice de criminalidade e interagir com a polícia, fornecendo dados que o cidadão achava conveniente para solucionar tais crimes. Até os serviços de energia e água e esgotos utilizava a mesma plataforma, para obter informações sobre os lugares.

 Os operadores de rádio do sistema de atendimento são policiais com vasta experiência operacional e momentos após se aposentarem, fazem uma prova, específica para trabalhar no COPOL, de fato só os melhores assumiam a função e tinham a extrema confiança dos policiais que estavm nas ruas. Além da formação superior em ciências policiais e treinamentos específicos para o serviço de emergências, o conhecimento de idiomas é necessário e cada um deles fala hoje, além do português outro idioma, inglês ou espanhol. As ligações de emergência passaram a ser atendidas e as viaturas despachadas diretamente pelo telefonista, que recebia e atendia o solicitante.

A polícia multa por SMS ainda  mas também fornece a opção do motorista infrator de pagar sua multas através de cartões de crédito apenas, na hora. Estes valores são divididos em três destinos, para segurança, a saúde e educação pública. Falando em saúde, com a unificação das polícias, a força policial, juntamente com os Bombeiros, passaram a ter um hospital da segurança pública, que é uma unidade escola onde os estagiários de medicina da Universidade do Distrito Federal, antiga UnB, realizam suas atividades iniciais, o primeiro do gênero no País.

As viaturas policiais eram SUV´s contruídos especificamente para aquele fim, possuindo motores chipados para não ficarem atrás dos motores convencionais vendidos aos público comum, nem atrás daqueles carros de alta performance, de propriedade da sociedade mais nobre. O Presidente da República, utiliza em seu comboio, o mesmo modelo de veículo, por ser considerado o modelo mais seguro e adequado ao serviço de proteção de autoridades.

As motocicletas utilizam um padrão que permite conduzí-las tanto em baixa como em alta velocidade, apesar do patrulhamento com bicicletas ter praticamente dominado o serviço sobre duas rodas, devido ao pensamento verde. O número de carros é extremanente alto o que inviabiliza o emprego de viaturas do tipo carro nas cidades. Os policiais possuem, devido seu nível profissional, liberdade para definir se vão patrulhar com carros ou motocicletas em seu período de serviço.

O recorde Oiapoque – Chuí de bicicleta pertence a um agente de segurança pública do Distrito Federal, bem como os títulos de melhor atirador de precisão do mundo, campeão da maratona do Rio de Janeiro e campeão mundial de IPSC. A polícia estava com problemas com os pilotos policiais que patrocinava na stock car e na fórmula 3000, devido problemas com a fiscalização de governo, que alegavam que estes não poderiam expor suas habilidades em outras atividades do ramo.

Os juízes, Promotores de Justiça e os profissionais de segurança pública possuem um teto salarial único, devido à natureza do trabalho que executam, lidam com a vida do ser humano, bem como seus aspectos relacionados, como a liberdade e observância aos preceitos constitucionais.

A formação policial foi padronizada em dois anos para todos os segmentos, sendo utilizada uma única entrada na carreira. A crise política de 2014 deixou marcas nas Insituições que exigiu mudanças não muito simples, onde altrou-se até mesmo as exigências básicas para o ingresso na força policial. Dois cursos superiores eram necessários, o de direito e o de adminstração. Obrigatoriamente, em 10 anos de serviço o policial deveria ter completado um mestrado em qualquer área de estudo aplicável no serviço policial, caso contrário não poderia concorrer ao cargo de comandante de área, ou seja ser o xerife de uma cidade.

Os antigos quartéis e delegacias de polícia funcionam  agora num mesmo local, denominados Direção Policial, seguida do nome da cidade em que está situado. A população desloca para estes locais para as reuniões com a administração da cidade, festejos oficiais, bem como atividades sociais de caráter geral, devido a estrutura do prédio e de sua localização, que é bem moderna e funcional. Os prédios possuem creches para servidores do Distrito Federal e professores da fundação educacional além disso, nestes locais, funciona um serviço voluntário gratificado para reforço escolar de estudantes.

A Cada três Unidades de Direção Policial duas unidades aéreas, helicópteros modelo EC136 T2 estão à disposição, fugir da polícia ou querer bancar o esperto nas cidades virou uma tarefa impossível. As unidades podem ainda, devido seu modelo, realizar resgates e salvamentos, apoiando os bombeiros. Todas as unidades aéreas possuem uma UTI a bordo.

O Ano de 2016 significou muito para a segurança pública no Distrito Federal, pois foi o ano que a polícia transformou-se no embrião do que é hoje. Que pena que tudo isso foi resultado de uma cena aterrorizante que aconteceu na cidade, o roubo de dois aviões boeing, no aeroporto internacional Juscelino Kubistcheck, orquestrado por policiais de ambas Instituições policiais que até então existiam no ordenamento da cidade.

O envolvimento de policiais neste crime, que foi solucionado rapidamente pela polícia federal, gerou um estado de desconfiança na sociedade, exigindo mudanças radicais, depois de evidências da participação de grandes nomes da segurança pública. Desconfiavam que os dois Chefes das Insituições estavam envolvidos, o que obrigou ao Governo local exigir do Congresso Nacional a mudança na estrutura da polícia do Distrito Federal. Os aviões foram encontrados uma semana depois em Trindad, capital do departamento de Beni, na Bolívia, abastecidos com drogas.

Passados 20 anos, agora em 2036, a população não se recorda mais do que são os momentos de abuso policial, na verdade, a população reclama, demais, do excesso de zelo que os policiais possuem para executar suas ativdades e considera a velocidade em que os casos são resolvidos um entrave para a produção de provas. Na verdade os que mais reclamam são os culpados pelos crime. Dirigir embriagado, desde 2022, passou a ser punido com a cassação sumária, imediata e eterna, do direito de dirigir.

Na verdade, fico feliz em poder escrever tudo isto agora, pois ao me aposentar em 2030, seis anos atrás, quase tudo isso já havia sido idealizado pelos meus colegas. Tínhamos em mente a polícia do futuro, mas veja bem, eu estou no futuro agora. E então, como vai ser daqui para frente?

Força e Honra…sempre!!

Onde está a sua vontade?

Hoje, senhores, estou hornado de ter treinado vocês.

Mais honrado ainda de ter colocado vocês no campo de batalha.
Mas ainda existe mais uma honra a ser concedida a vocês,
Que é a resposta que vem com a pergunta:
Quem sou eu?
Eu sou um campeão.
Estão certos, e quero que vocês se lembrem disso durante todo esse jogo.

Eu vou conquistar o que ainda não foi conquistado.
A derrota não será minha crença.
Eu vou acreditar no que os outros têm dúvidas.
Vou sempre me esforçar por prestígio, honra e respeito do meu time.
Eu treinei minha mente e o meu corpo irá seguí-la.
Quem sou eu?
Eu sou um campeão!

Eu vou reconhecer o fato de que meus adversários não esperam que eu vença,
Mas eu nunca me renderei.
Fraqueza não estará no meu coração!
Eu vou olhar para os meus companheiros,
Para aqueles que me trouxeram para este mundo
E para aqueles que me treinaram.
Eu vou pegar a força que vem deles!
Quem sou eu?
Eu sou um campeão!

Eu terei prazer em sair para o campo de batalha.
E eu vou me mover e fazer tudo que eu puder!
E eu vou alcançar meu campo de batalha
Por todos os meios a minha disposição.
E quando eu chegar lá, vou chegar violentamente.
Eu vou rasgar o coração do meu inimigo e deixá-lo sangrando no chão.
Porque ele não pode me parar!
Quem sou eu?
Eu sou um campeão!

Do meu lado eu tenho meus os companheiros.
Companheiros que estiveram comigo nos momentos bons e ruins.
Através do sacrifício, do sangue, do suor e de lágrimas.
Nunca vou deixá-los cair!
Nunca vou decepcioná-los!
E eu nunca vou deixar um inimigo para trás!
Porque nossos adversários não conhecem meu coração!
Quem sou eu?
Eu sou um campeão!

Ninguém vai me negar!
Ninguém vai me desafiar!
E ninguém vai dizer “quem”, “o que eu sou” e “o que devo ser”.
A crença vai mudar meu mundo!
Ela move continentes, países e colocou o homem na Lua!
E vai me carregar nessa batalha!
Quem sou eu?
Eu sou um campeão!

“Derrota”, “Recuar” não estão nas minhas palavras!
Eu não entendo estas definições!
Eu não entendo quando as coisas dão errado!
Eu não entendo erros!
Mas eu entendo isso:
Eu entendo “vitória” e eu entendo “nunca se entregar”
Não importa o quão ruim as coisas vão,
Meu coração e minha mente irão carregar meu corpo
Quando os meus membros estiverem fracos demais.
Quem sou eu?
Eu sou um campeão!

Hoje é “o dia”.
Não amanhã. Não na próxima semana!
Mas hoje, aqui e agora!
Na sua casa e no seu lar!
Quem sou eu?
Eu sou um campeão!

A história vai se lembrar de mim.
E eu não tenho que me preocupar se ela será gentil.
Eu vou me definir!
Eu vou escrever minhas próprias glórias!
E ninguém vai me dizer o que posso e o que não posso ser.
Eu nunca irei pra casa!
Não sem dar tudo aquilo que tenho!
Quem sou eu?
Eu sou um campeão!

Quem sou eu?
Eu sou um campeão!

Quem sou eu?
Eu sou um campeão!

Força e Honra!

Uma dica de @SilvanaPedrita

ONDE ESTÁ SUA VONTADE?
Este video é o discurso do técnico de futebol americano Jeromy Flowers antes de um jogo decisivo de seu time.MUSICA: Promontory
Album: Last of the Mohicans Soundtrack
Compositores: Randy Edelman, Trevor Jones

Publicado via tablet, favor desconsiderar os erros!

TREINANDO A MENTE.

O grupo que eu pertencia esteve durante 36 horas envolvido na missão que poderia ser uma daquelas considerada das mais perigosas de nossas vidas, o resgate de policiais reféns no presídio em Brasília, no ano de 2001.

O mais interessante nesse ponto não é a ação tática em si, que estava sendo preparada para que o grupo de intervenção iniciasse suas ações caso fosse necessário, mas sim, o que passava pela cabeça dos homens, nos momentos que antecediam a ação.

A atitude mental.

A mentalidade de combate é uma das partes do serviço policial que é mais desprezada no ou durante o treinamento. Geralmente os treinamentos envolvem, políticas do uso da força, estudos de caso e legalidades em geralmente relacionadas com o uso da força letal. Os instrutores ensinam técnicas de tiro de precisão, para evitar os efeitos colaterais do emprego de uma arma de fogo, onde os alunos policiais acertam os alvos de metal ou papel e que ao final da série, são anotados os resultados, documentando-se os pontos. Mas devido a diversos fatores, como, a falta de compreensão de aspectos psicológicos, fisiológicos, de orçamento, tempo, restrições do local de treinamento, colocam de lado vários aspectos mentais do uso da força.

No serviço policial, comumente, o treinamento sobre atitude mental é ignorado, mal entendido, ou pior, não existe no curso de formação.

A mais notáveis instituições policiais incluem o treinamento da atitude mental em seus programas de treinamento de armas de fogo, ou ainda, como o mais importante elemento de sobrevivência no serviço policial.

Aqui temos dois pontos distintos a serem discutidos: o desenvolvimento e entendimento da atitude mental de combate pelos policiais e o apoio a instrutores e treinadores para que estes desenvolvam a atitude mental de combate em seus alunos.

Bibliografias no Brasil, nem pensar. O que chegamos mais perto são para os treinamento em artes marciais.

Numa entrevista de Rickson Gracie, não lembro o canal, mas era sobre o vale-tudo, ele dizia que treinava sua atitude mental, pois após anos de treinamento, já teria feito tudo o que era possível em termos de lutas, socos e pontapés. Com isso, imaginava-se lutando e ganhando a luta, aplicando uma chave e finalizando seu oponente. Vamos à discussão.

A Visualização.

Esta é a técnica mais simples, por isso mais praticada. O policial simplesmente visualiza um cenário na sua mente e imagina cada segundo/minuto com os detalhes daquele encontro violento e joga na sua mente a atitude adequada para uma resposta perfeita. Se nesta situação, uma arma de fogo é utilizada, o policial tem de visualizar o movimento de saque, alinhamento de alça e massa, o disparo, o seguimento do alvo através do conjunto( o tal do follow through!!!), controle de área, ou seja todos aqueles pontos que são exaustivamente lembrados na aula(teórica) de tiro. Não devemos esquecer da comunicação, recargas táticas e movimentação.

Uma simples transmissão de rádio pode ser visualizada numa perseguição a um suspeito, a mente do policial acaba que vai sendo treinada para uma reação apropriada para alguns incidentes.

O mais interessante de tudo é que o treinamento não custa nada e pode ser feito em momentos de folga ou naquelas esperas chatas, na fila do banco ou do médico, por exemplo. Atletas olímpicos tem usado estas técnicas por anos e têm garantido o sucesso em suas competições.

Comunicação positiva.

Outra técnica recomendada é a Comunicação positiva, que é nada mais do que passar a si próprio, mensagens que reforçam suas habilidades, coisas do tipo: “estou preparado para esta situação“, “meu saque está melhorando  muito com este treinamento“, “ minha recarga tática está eficiente“, “se eu me ferir numa troca de tiros, vou continuar a reagir, vou vencer o confronto“. Esta técnica consiste em fornecer frases de efeitos positivos a si mesmo, principalmente, que serão direcionadas ao subconsciente do indivíduo. Esta é mais uma técnica que é barata, fácil de treinar e o policial pode fazê-la por conta própria, porém, se for empregada  em conjunto com um treinamento pesado, pode ser muito mais efetiva.

Respiração controlada.

A Terceira técnica para treinamento da mente que apresento é a respiração controlada, que nada mais é do que implementar a respiração através do nariz, inspirando, de forma profunda, contando até quarto, por exemplo, e então, expirar este ar pela boca. Realizar este procedimento por dez vezes aproximadamente.

O objetivo desta técnica é acalmar-se numa situação estressante, concentrando-se na respiração.

A respiração vai lhe acalmar, ou reduzir seu nível de stress, possibilitando que você inicie os planos para responder a determinada situação.Esta técnica foi utilizada na resposta ao presídio, pois no deslocamento, achávamos que um assalto de emergência iria ser iniciado pelo nosso grupo. Porém, a tropa de choque foi empregada, para restabelecimento da ordem em determinadas áreas do presídio.

Níveis de risco.

Uma das melhores formas de se evitar um incidente crítico é ter o controle ou o conhecimento das áreas que o cercam. Este é um ponto importante para momentos que exijam controle mental

O famoso código de cores: branco, verde, amarelo e vermelho, que no padrão internacional, geralmente  é branco, amarelo, laranja e vermelho, mas que significam a mesma coisa.

O primeiro nível, o de condição branca, significa relaxado, despreparado, é o pior local onde você poderia ser atacado, pois seu momento é totalmente favorável ao inimigo. O Segundo momento, o da condição verde, é o momento de atenção a risco em baixo potencial, você não vai fatiar toda esquina para continuar seu patrulhamento à pé, porém, ficará atento a suspeições que podem apresentar perigo. A condição amarela é utilizada quando da observação de um perigo específico, tal como um suspeito aproximando-se em um veículo num estacionamento perto de um banco, é um bom exemplo. Durante este momento você deve traçar um plano mental para este momento de risco aparente.

A condição vermelha é o contato, é a luta, é o perigo propriamente dito, você está empenhado no combate. Neste ponto, o processo de decisão encerrou-se, você está agindo ou reagindo. Seu treinamento deve se sobrepor a esta situação  e o foco deve estar na alça de mira  e pressão no gatilho, bem como nos outros fundamentos do tiro policial, ou se for o caso, de luta corpo-a-corpo.

A menos que o seu treinamento seja realístico ou suas reações sejam excelentes, uma pessoa desleixada ou sem a devida preparação entrará em choque e se sentirá aterrorizada, e esta não será uma boa forma de se iniciar uma luta, estará fadado ao fracasso.

Ciclo OODA.

Neste ponto, é necessário entender como a mente humana reage, diante do perigo. O Ciclo O.O.D.A., foi desenvolvido para descrever este processo pelo Coronel  John Boyd da U.S.A.F.

O ciclo OODA descreve o ciclo do combate aéreo como o Coronel o entendeu. Os momentos são de observação, orientação, decisão e ação. O oficial deve primeiramente observar o perigo, o que significa a mudança da condição anterior para a condição amarela. Após este momento, deve se orientar, rotas de fuga, possíveis abordagens, viradas sem obstáculos, coberturas e pontos de apoio. Lembrando que a orientação é o maior componente desta técnica, neste estágio, o período é filtrado pela sua avaliação da situação, que será baseado nas suas experiências anteriores, treinamento, serviços em campo, etc..Num próximo e tênue momento, você deverá agir. Isto ocorrerá quando todas as opções de uso da força e opções táticas de resposta tiverem sido consideradas.
O mais interessante é que todas estas atividades  tomam seu devido lugar em questões de segundos e estamos realmente reagindo a um ataque.

Imagem; Ciclo O.O.D.A.

Quando o inimigo inicia seu ciclo de observação, orientação, decisão e ação, devemos interromper este ciclo para termos a melhor chance de sobreviver e isto pode ser feito com movimentação, diversificação de comportamento(correr, abrigar-se, atirar, etc.), usar distrações ou agir agressivamente mesmo, mas de forma profissional, é claro.

O ciclo irá continuar por todo o momento do conflito. A habilidade de interpretar corretamente os dados, rapidamente e então decidir o curso de ação apropriada e a ação decisiva, irá salvar sua vida, com certeza.

Controle mental

Se você tem respostas próprias, controlando o stress e possui uma boa avaliação das situações de risco, o próximo passo é desenvolver o controle emocional. Isso somente aparece com o tempo.

O trabalho árduo, a disciplina e o desconforto são necessários para desenvolver a mente de um guerreiro.

O trabalho árduo será recompensado quando você se encontrar em uma situação de perigo de vida e você estiver preparado mentalmente e fisicamente para o combate. Uma das melhores formas de desenvolver a rusticidade da mente é através de um árduo treinamento físico. A melhor forma de anular reações indesejáveis diante do stress é forçar o seu corpo para situações estressantes.Treinamentos de circuito difíceis, juntamente com exercícios com peso podem levar o seu organismo para além do desejado

Tudo o que é preciso é um pouco de tempo e uma grande dedicação. Evite as desculpas do tipo: trabalhei muito hoje e quero apenas dormir e ver televisão, o exercício fará muito bem, respeitada as devidas proporções.

Treinamento de combate.

Se você está em boas condições físicas é extremamente recomendado um treinamento de combate, de lutas.A melhor forma de testar e aprender estas habilidades é treinar numa academia. Uma luta requer condicionamento, treinamento, disciplina e suor. O interessante deste procedimento são os ganhos sociais em cima de um treinamento externo, amigos fora do trabalho, num ambiente saudável, são grandes ganhos, ao mesmo tempo que aumenta sua confiança e capacidade mental. Melhorando a performance, permaneça calmo e implemente estratégias, quando encarar o perigo no serviço.

Este tipo de treinamento vai custar algum dinheiro, mas é um investimento que vale a pena e requer uma boa academia e equipamentos.

Confiança

Como ganhar confiança, para encarar um adversário que sabe que irei vencê-lo?

A confiança vem do treinamento e da preparação. Procure por treinamento em boas escolas e instituições, invista em você, em sua vida.

Ele é bom, mas assume, “também tenho meus pontos fracos”(em inglês).

Siga protocolos de treinamento em seco, e insista neste ponto, visualize, repita e condicione sua mente a repostas firmes e eficientes.Devemos treinar de forma séria e dura.

Compromisso

O componente final para preparação e desenvolvimento da mente é o compromisso com você mesmo, com aqueles que você ama e com a comunidade que você protege.

Faça uma promessa: Você nunca vai desistir, nunca, nunca!!

Treine a empunhadura de sua arma com uma mão apenas e visualize que levou um disparo(pode acontecer, espero que não). Tenha em mente que, aqueles que levam um tiro durante um confronto armado, sobrevivem, se não levarem um tiro certeiro na cabeça, portanto, seja firme, mesmo ferido.

Se você tiver o comportamento mental correto, se você fez o trabalho árduo de forma correta, o seu corpo e mente estará preparado para o combate.

E voltando ao evento inicial deste texto, nossa preparação metal, incluiu algumas destas técnicas que aqui foram descritas, o desgaste foi tão grande que, até três dias após o evento, tínhamos uma espécie de flashback. Me recordo que dormindo, me via entrando no presídio e resgatando os policiais reféns. Já noutro dia na Unidade, conversando com os colegas, alguns relataram comportamentos similares, chegamos à conclusão de que não era doença, não era um problema, mas sim, um reflexo de nosso compromisso com o trabalho, com nossas vidas e daqueles que juramos defender.

Bibliografia

http://en.wikipedia.org/wiki/OODA_loop

http://www.calibrepress.com/

http://www.spartancops.com/developing-warrior-mind-boyds-ooda-loop-coopers-color-code-lay-foundation/

%d blogueiros gostam disto: